Giselle & Conrado
[ 09.10.2015 ]

Sobre Nós

Acreditamos que todos que vão ver essa pagina ou quase todos já conhecem nossa história, mais para que ninguém fique constrangido vamos contar resumidamente essa nossa jornada que já dura 11 anos.

Em 2004 eu morava em um apartamento em Campinas com minha irmã Carina e minha sobrinha Agata, independencia total, nessa época eu era ator, DJ, baladeiro e butequeiro (meus amigos que o digam, rs), eu estava de férias e minha irma em uma bela quarta feira me disse que gostaria de sair pra balada com sua amiga Tais e a prima dela que estava passndo uns dias em Campinas  e eu precisaria ficar em casa olhando a minha sobrinha, que na época ainda era uma linda e doce criancinha, logicamente como todo bom irmão eu prontamente disse: lógico que não, vamos fazer uma festa em casa mesmo.

Nesse momento começamos os telefonemas e em pouco tempo nossa casa estava repleta de amigos todos  no meu quarto que era sempre o endereço das nossas festas, nele  já estava eu e meus grandes amigos Juliano e Fabião, quando vejo entrar em casa a mulher mais bela e timida que ja havia visto na vida, neste momento ja fiquei boquiaberto, coração disparado, boca seca, essa mulher era a Giselle, prima da amiga de minha irma. Bebemos e cantamos, conversamos e rimos a noite inteira, quando altas horas da madrugada acabou a cerveja e fui encarregado de ir comprar mais, convidei a Giselle para ir comigo e ela topou, conversamos muito no caminho de ida, conversamos mais no caminho de volta e de repente... chegamos no apartamento novamente. Fiquei desesperado, nunca poderia imaginar que teria uma oportunidade tao boa a sós com uma mulher como tive com a Giselle e não tentaria nada? Nem um beijinho? Não aceitei aquilo e chamei ela para voltarmos ao posto para comprar cigarros, fomos conversando mais e mais, e na volta bateu um desespero, não sabia o que falar nem como me aproximar e é nesses momentos que surgem as melhores piores ideias que dão certo, fiz um comentário bem tosco sobre a propaganda de uma loja de pneus, e em seguida disse que gostaria de dar um abraço nela para me sentir melhor, pronto, abracei ela e ... só, nada mais, voltamos a caminhar e pensei: Que isso cara, cade o Conrado? Coragem, e pedi um novo abraço só que desta vez finalmente saiu nosso primeiro beijo!!!

Ficamos juntos naquela noite por umas duas horas e ela foi embora. No dia seguinte apenas nos vimos um pouco e nada aconteceu, porem no terceiro dia tomei coragem e já pedi ela em namoro, namoro esse que já dura 11 anos, entre muitos acontecimentos em nossas vidas como o mais especial de todos o nascimento de nossa filhinha Ana Clara, minha mudança pra Poços de Caldas, a mudança dela pra Campinas, nossa jornada é muito intensa e não poderia resultar em outra coisa senão esse grande casório!